Pesquisa CBS

segunda-feira, 18 de julho de 2011

CNBB e Associação Patriótica Católica Chinesa


Fonte:

http://fratresinunum.com/2011/07/15/cnbb-recebe-dirigentes-de-sua-co-irma-comunista-separada-associacao-patriotica-catolica-chinesa/blog-da-cnbb/


http://fratresinunum.com/2011/07/16/dois-dias-apos-cnbb-receber-sorridente-os-carrascos-dos-catolicos-papa-volta-a-expressar-sua-dor-pelas-sagracoes-ilicitas-na-china-novo-bispo-excomungado/

Na noite do dia 14 de julho a comitiva da Administração do Estado para Assuntos Religiosos, do Governo da República Democrática da China, participou de audiência com o secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Ulrich Steiner, na sede da CNBB, em Brasília.

Composta pelo vice-ministro para Assuntos Religiosos, Jiang Jianyong, e 11 outros funcionários do Governo Chinês, a comitiva foi à CNBB com o objetivo de conhecer o trabalho realizado pela Igreja Católica no Brasil e propor um intercâmbio entre as duas Conferências Episcopais.

Dom Leonardo explicou a atuação da Igreja no Brasil, toda sua estrutura e funcionamento; o cuidado especial com os pobres; a ligação entre as Conferências Episcopais da América Latina; as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil; sobre as congregações de religiosos e religiosas e suas atividades, principalmente na área social, entre outros.

O vice-ministro Jiang Jianyong falou que essa é a primeira vez que a delegação visita a América do Sul e que foram convidados a virem pela Sociedade Bíblica do Brasil. “Essa comitiva quis conhecer as características do catolicismo no Brasil e constatamos a relevância da Igreja para o país”, ressaltou o vice-ministro.

P.S. do Fratres in Unum.com. :

A Matéria foi retirada do ar no blog e no site da CNBB minutos após sua veiculação em Fratres in Unum.com.


A Administração do Estado para Assuntos Religiosos, do Governo da República Democrática da China, é o órgão estatal que regula e supervisiona as atividades da cismática Associação Patriótica Católica Chinesa. O senhor secretário da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, certamente não vê dificuldades e nem se ruboriza ao receber cismáticos e hereges de toda espécie.

Aliás, esta é uma das especialidades da CNBB e sua trupe, e já não causa mais surpresa. No entanto, não deixa de causar estranheza a impressão, dada por esta visita, de uma aparente ignorância (ou desdém?) dos acontecimentos das últimas semanas (sim, não são meses, anos ou décadas, mas semanas; o último deles ocorreria exatamente ontem, dia da visita!) — sagrações episcopais ilícitas, prisão de bispos em comunhão com o Papa, coação para que participassem de tais sagrações – que recrudesceram as relações entre Roma e Pequim, depois de uma tímida aproximação no início do pontificado de Bento XVI, e culminaram com mais de um pronunciamento da Santa Sé.

Evidentemente, o “cuidado especial pelos pobres” da mentalidade marxista-cnbbista faz com que se estabeleça um interesse mútuo: da parte da igreja cismática chinesa, pelos métodos subversivos da Igreja no Brasil; e da CNBB e da Sociedade Bíblica do Brasil, anfitriã da visita, supomos, por uma formalização, quiçá em um futuro não muito distante, de seu (ou ao menos de significativa parcela de seus membros) cisma com a Sé Apostólica e estabelecimento de sua “igreja patriótica brasileira”.

Tão ridículo quanto sintomático é um grupelho de burocratas leigos de Pequim propor um “intercâmbio entre as duas Conferências Episcopais” e, por sua vez, a CNBB considerar este convite digno de ser noticiado, e não rechaçado, em seu site. Que intercâmbio! De um lado, a explicitamente cismática conferência episcopal submetida ao governo chinês, não reconhecida pela Sé Apostólica, e de outro a Conferência Episcopal dos Bispos do Brasil que, embora reconhecida, talvez esteja mais próxima de Pequim do que de Roma.

"Rezemos pelos Bispos do Brasil, rezemos pelo Papa, para que Deus lhe força e sabedoria para enfrentar os inimigos de fora e de dentro da Igreja."

Assuntos Relacionados

Assuntos Relacionados